segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

RACIOCÍNIOS QUE VÃO CONTRA O CONHECIMENTO DE DEUS

Raciocínios que vão contra o conhecimento de Deus

(O texto que você vai ler a seguir, é um trecho do meu livro DOUTRINAS INTRIGANTES)

Em se tratando das coisas de Deus os prós e os contras sempre existiram, isso desde sempre; vemos isso nas páginas do AT, nos evangelhos e nas epístolas do NT. Quando Jesus começou a pregar o evangelho do Reino de Deus, as suas primeiras palavras foram: “O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho” (Mc 1:15). Duas coisas, segundo as palavras de Cristo, são fundamentais à conversão de uma pessoa: a “fé e o arrependimento.” Por causa disso, nestes últimos dias Satanás luta de todas as formas para minar a fé na Bíblia Sagrada, tentando lançá-la em descrédito, ou fazendo-a parecer um livro ecumênico, porém mal interpretado. Vale tudo para que as pessoas não creiam no evangelho de Jesus Cristo. Fulminantes ataques têm sido desferidos pela “espada da ciência.” e pelas “espadas das religiões”. O apóstolo Paulo já dizia que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. A fé é o combustível do ser humano. Sabendo disso o foco do adversário é, principalmente, a fé do ser humano em Deus, e em sua Palavra, porque sabe que a fé é tão essencial à salvação como o ar é para o corpo. Se ele conseguir impedi-lo de crer não haverá conversão.


Não foi por acaso, portanto, que os séculos 18 e 19 da Era Cristã registraram intensos ataques contra a Bíblia Sagrada. Filósofos Racionalistas, Iluministas e Idealistas decidiram interpretar a realidade em busca da verdade com base apenas na razão ou na experiência. Tais argumentos formaram a base do pensamento moderno tanto dentro, como fora do cristianismo. Não é possível citar com detalhes os nomes e a forma como isso ocorreu, mas é possível a quem desejar obter uma síntese disso verificando as informações do livro As estratégias de Satanás para destruir a fé na Bíblia, do autor Joe E. Tarry ou de uma forma mais abrangente no livro do Dr. Colin Brow, Filosofia e Fé Cristã. Quero, porém, citar alguns exemplos do que ocorre em nossos dias, na grande investida contra a fé cristã.

Os ateus, por exemplo, querem anular o sobrenatural. O pesquisador americano Steven Weinberg disse: “À medida que você aprende mais sobre o Universo, descobre que pode compreender cada vez mais sem nenhuma intervenção do sobrenatural.5 . Em 2006 foi lançado o livro Quebrando o Encantamento do ateu Daniel C. Dennet, cujo objetivo é ajudar aqueles que estão digamos, quase crendo, a continuarem incrédulos. Outros dois livros já estão por ai fazendo a cabeça das “ovelhas desgarradas” do ceticismo, são eles Algo como a ilusão de Deus de Richard Dawkins, zoólogo e professor em Oxford, e Carta a uma nação cristã de Sam Harris. Acredite, os ateus também tem os seus “pastores”.

Em 2003 foi lançado o livro A Bíblia não tinha razão dos arqueólogos Neil Asher Silbermam e Israel Finkelstein. Nele, fatos como a existência histórica de Jesus, a travessia do mar vermelho e a queda de Jericó, são colocados em xeque. Recentemente foram lançados 2 DVDs intitulados A Bíblia a seu tempo em dois volumes, baseados no livro destes dois autores que inclusive participam ativamente do documentário tentando provar que nenhuma informação arqueológica ou geográfica que está no AT. Ainda em 2003, a revista Super Interessante trouxe um artigo que colocou em dúvida a existência do patriarca Abraão, com afirmações do tipo: “Talvez historicamente não tenha existido um só Abraão, mas vários, que ajudaram a compor o Abraão Bíblico” 6 .

O livro O outro Jesus segundo os evangelhos apócrifos, de Antônio Piñero, apresenta Jesus como um homem que não tinha a intenção de fundar igrejas. Os apócrifos negam que Jesus tenha sido crucificado, faz afirmações fantasiosas da infância de Cristo, como se ele fosse um garoto impaciente, cujo poder era usado até para matar pessoas. Afirmam que Jesus nasceu em Nazaré e não em Belém, que era filho ilegítimo de um soldado romano. Negam que Maria Madalena tenha sido prostituta, e afirmam que Jesus a beijava na boca. Em entrevista a revista Galileu, o frade franciscano Jacir de Freitas disse: “Alguns insistem em afirmar que os apócrifos são textos falsos ou de conteúdo falsificado. Queremos rechaçar essa idéia e afirmar que os apócrifos[...] São preciosidades que foram mantidas em segredo.” 7

Parece que os amantes dos apócrifos querem “a volta dos que não foram”, pois os apócrifos existem, mas “nunca foram reconhecidos pela igreja” no mesmo nível dos 27 livros do NT, isto é, não foram escritos sob a inspiração do Deus.

Em meio ao crescente acervo de obras que agridem a fé no evangelho verdadeiro, não podemos nos esquecer do polêmico livro O Código da Vinci, do romancista Dan Brow. A leitura envolvente prende o leitor que, se despercebido, passa a receber informações comprometedoras dos “mestres” criados por Dan Brow, os quais sutilmente destilam os seus venenos contra as bases essenciais da fé cristã. Entre os muitos ataques alguns foram: Que Jesus teve uma filha, Sarah, com Maria Madalena e que a sua descendência existe até os nossos dias; que Constantino e seus sucessores do sexo masculino conseguiram converter o mundo do paganismo matriarcal para o cristianismo patriarcal. Isso através da escolha arbitrária dos livros da Bíblia Sagrada, o que anula toda a verdade histórica do Cânon Sagrado, como a conhecemos.


Em 2006, houve mais duas grandes investidas contra a fé na Palavra. Uma foi a descoberta do elo que faltava na cadeia da evolução. No dia 26 de abril os jornais de todo o mundo deram notícias como esta:

“Adis-Abeba (capital da Etiópia), a análise de dentes e ossos ali encontrados revelou a existência de um novo ancestral humano. Batizado de Australopithecus anamensis, ele viveu há cerca de 4,2 milhões de anos e passa a ser o elo que faltava na trilha histórica que começa com o Ardipithecus ramidus, um macacão de 4,5 milhões de anos que mal parava em pé, e termina com o Homo sapiens – ou seja, conosco.” 8

Com isso, a teoria da evolução ganha força contra o criacionismo bíblico, pois, se de fato o homem descende do macaco, segue-se que não foi criado por Deus como ensina a Bíblia Sagrada.

Outra notícia que polemizou foi O evangelho segundo Judas, um texto que segundo os arqueólogos, esteve perdido durante 1,7 mil anos foi encontrado no Egito e descoberto em 1970. Está escrito em copta, língua falada no Egito, nos primeiros anos da história da Igreja, copiado no século III ou IV, de um original de século II. O texto tem como epígrafe as seguintes palavras: “Eis o relato secreto da revelação que Jesus, num diálogo com Judas iscariotes, uma semana antes de celebrar a Páscoa... Jesus Lhe disse: ‘afaste-te dos outros e contar-te-ei os mistérios do reino. Tu tens a capacidade de alcançá-lo, mas padecerás de extremo sofrimento” 9 . Contudo, o que está em questão não é a veracidade do documento, pois está comprovado que não é uma fraude arqueológica, mas o valor do conteúdo como doutrina é sem dúvida uma fraude teológica, não de quem o achou, ou restaurou, ou o divulga, mas de quem acredita no que está escrito nele. Irineu o repudiou com veemência por volta de 180 d.C., em seu tratado Contra as Heresias, no qual critica um grupo que reverenciava Judas “o traidor”, e que criara uma “história fictícia” a qual “chamam de O evangelho de Judas. O evangelho de Judas é um apócrifo, se as suas mentiras forem consideradas verdades, as verdades da Bíblia sobre o caso “Judas”, serão consideradas mentiras, porque não se harmonizam.

Em 1996 foi lançado o livro Jeová, FALSO DEUS? Cujo conteúdo faz declarações insolentes, verdadeiras blasfêmias. Os escritores afirmam, entre outras coisas, que o Deus do AT é um Deus falso, que tem duas medidas, que é mentiroso, de duas palavras, faz acepção de pessoas, ensina a pecar, em fim, que ele é o próprio Diabo. Isso não é exclusividade dos nossos dias, é uma ressurreição das idéias de Márcion, um herege que existiu nos primeiros dias da história da igreja e que foi um dos principais motivos que levou a igreja a estabelecer o Cânon em resposta as suas heresias.

E como em cada ano alguém tem que sair com uma nova investida contra o cristianismo, no dia 25 de fevereiro de 2007, a correspondente da Rede Globo Lília Teles, de Nova York, informou no programa fantástico que em Jerusalém um grupo de pesquisadores havia descoberto 10 caixas com ossadas datadas do século I e entre esses dez, três deles contêm os restos mortais de José, Maria e Jesus. E em outra, o nome de um suposto filho de Jesus, por nome de Judas, o que reforça a falsa idéia de que Jesus e Maria Madalena teriam se casado, e constituído família. É como se a ficção do Código Da Vinci estivesse se tornando fato. Não demorou muito e foi lançado ainda este ano uma espécie de documentário visando dar mais detalhes da descoberta, como o título O Túmulo Secreto de Jesus.

O anúncio foi feito na biblioteca pública de Nova York e aumentou a discussão sobre o assunto. Realmente só aumentou a discussão, não acrescentou nada de aproveitável. O Diabo quer isso, discussão, confusão e dúvidas sobre a Palavra. Como todos já sabem, a descoberta não é recente, ela ocorreu realmente nos anos 80. Sem dúvida tem alguém querendo ganhar dinheiro com a polêmica, nada mais. Aliás, já fizeram um filme em forma de documentário com o título O túmulo secreto de Jesus.

Duvido muito que os discípulos dedicariam as suas vidas completamente, a ponto de serem mortos se não tivessem a plena certeza da ressurreição de Cristo. Quem morreria por uma mentira? Quem morreria por um homem que os enganou com histórias de ressurreição, etc? Por mais que eles gostassem de Jesus, não fariam isso.

Duvido muito que demorasse tanto tempo para descobrirem os restos mortais de Cristo, pois certamente os judeus fariam questão de descobrir onde estava e realmente Jesus não tivesse ressuscitado. No intuito de desmascararem as afirmações dos apóstolos sobre a ressurreição de Cristo, exporiam o corpo de Cristo com muito prazer, antes que a doutrina da ressurreição se propagasse. Mas isso não aconteceu, embora eles tenham tentado forjar uma história mentirosa sobre o roubo do corpo de Cristo, pagando os soldados que estavam no túmulo, para afirmarem isso (28:11-15). Os pesquisadores dizem que não querem abalar a fé dos crentes com tal notícia, mas acreditam que a Bíblia deve ter outras formas de interpretação.

É bom lembrar que Satanás foi a primeira pessoa a interpretar a Palavra de Deus. Ele, mais do que ninguém deste mundo tem interesse em ensinar os crentes como interpretá-las, como fez com Eva. Note como a interpretação correta da Bíblia é de suma importância. Note como parece haver “alguém” falando na boca dos pesquisadores. Sabemos que nem todas as pessoas acreditam nisso, mas quem acredita na Bíblia Sagrada, sabe do que eu estou falando. Não se espante, vem mais por ai, é a função do Diabo desenvolver estratégias para minar a fé na Bíblia. Faz sentido a pergunta de Jesus: "Quando, porém vier o Filho do Homem, porventura achará fé na terra?" (Lc18:8 ERC). Esteja preparado "Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.” (Ap 3:11 ERC).

É patente que a batalha contra “os poderes e autoridades”, contra “os dominadores deste mundo de trevas”, contra estas “forças espirituais do mal nas regiões celestiais” (Ef 6:12), não envolve apenas o jejum e a oração. Eu disse “apenas”, não significa que não sejam disciplinas espirituais essenciais nesta guerra espiritual sem trégua, mas enganam-se, e muito, aqueles que descartam a necessidade do devido conhecimento da Palavra. É o mesmo que um soldado ir à guerra sem o devido treinamento, isto é, vai como um patriota valente e pronto para defender a sua fé, porém, embora esteja armado, não aprendeu como manusear sua arma devidamente.

Paulo, inclusive, usa uma analogia com as armas de um soldado do seu tempo, com as armas de um cristão (Ef 6: 14-17). Note que o “cinto da verdade” e a “espada do Espírito”, fazem parte da armadura. Significa que o Cristão nesta guerra espiritual deve estar "comprometido" com a verdade da Palavra, e "apto" para propagá-la sempre que for preciso. A guerra espiritual estende-se ao intelecto. Os agentes do mal estudam, pensam, raciocinam, para tramarem um meio de destruir ou fragilizar as bases sadias da fé cristã. O conhecimento teológico é uma arma que deve ser usada na guerra espiritual, como diz Paulo: “pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo;(2 Co 10: 4,5 Vre. Destaque meu).

O conhecimento é uma força que não deve ser ignorada, nem menos prezada. É por força do argumento que muitos cristãos são “arrebatados” para as seitas e heresias atuantes ao nosso redor. Eu mesmo conheço alguns que emigraram para uma seita com a convicção de que agora “acharam a verdade". Infelizmente algumas igrejas perderam muito tempo criticando e menosprezando a importância do estudo teológico sobre o pretexto de que "a letra mata". A teologia cristã não é ferramenta do Diabo para matar, nem esfriar ninguém na fé. Ela não é nociva à fé. Nunca foi.






6 comentários:

Richard Rossini Atanes disse...

No dia 16 de abril os editores do Amenidades da Cristandade alcançaram a marca de 1 ano de atividades daquele blog. Em comemoração ao momento especial, além do sorteio de um livro de Max Lucado , indicaram o selo intitulado "Melhores Blogs da Cristandade" para sete blogs, entre eles o blog belverede, de Eliseu Antonio Gomes, e por conseguinte, este o indicou para mais sete blogs, incluso o nosso Salvação ao Alcance de todos, que você lê agora.

O principal motivo do blog Salvação ao Alcance de todos existir, é a necessidade que tenho de levar o evangelho ao maior número de pessoas que conseguir, fazendo o melhor dentro de minhas capacidades , buscando glorificar a Deus e edificar espiritualmente a todos os internautas.

Indico sete blogs também. Os critérios das minhas escolhas foram dois:

1 – Qualidade do blog;

2 – Contato virtual com este blogueiro por meio desta página, ou comunidades UBE no Orkut. A minha rede de contatos é grande, e infelizmente não é possível citar a todos, então, escolhi aqueles que contaram mais recentemente.
Seu blog foi por mim indicado:



Para validar o selo recebido, o (a) blogueiro (a) deverá copiar o embed do selo e postá-lo no seu blog.

• Colocar o link do blog que ofereceu o prêmio ao seu blog;

• Escolher outros sete blogs de conteúdo cristão (não importando a corrente ou denominação) para receber a premiação e colocar seus links no post que consta a premiação;

• Comunicar os blogs premiados;

• Publicar as regras e a imagem do selo no post de premiação.

Veja mais detalhes no meu blog, no link abaixo:
http://salvacaoaoalcancedetodos.blogspot.com/2009/04/salvacao-ao-alcance-te-todos-recebe-o.html

Richard Rossini Atanes disse...

No dia 16 de abril os editores do Amenidades da Cristandade alcançaram a marca de 1 ano de atividades daquele blog. Em comemoração ao momento especial, além do sorteio de um livro de Max Lucado , indicaram o selo intitulado "Melhores Blogs da Cristandade" para sete blogs, entre eles o blog belverede, de Eliseu Antonio Gomes, e por conseguinte, este o indicou para mais sete blogs, incluso o nosso Salvação ao Alcance de todos, que você lê agora.

O principal motivo do blog Salvação ao Alcance de todos existir, é a necessidade que tenho de levar o evangelho ao maior número de pessoas que conseguir, fazendo o melhor dentro de minhas capacidades , buscando glorificar a Deus e edificar espiritualmente a todos os internautas.

Indico sete blogs também. Os critérios das minhas escolhas foram dois:

1 – Qualidade do blog;

2 – Contato virtual com este blogueiro por meio desta página, ou comunidades UBE no Orkut. A minha rede de contatos é grande, e infelizmente não é possível citar a todos, então, escolhi aqueles que contaram mais recentemente.
Seu blog foi por mim indicado:



Para validar o selo recebido, o (a) blogueiro (a) deverá copiar o embed do selo e postá-lo no seu blog.

• Colocar o link do blog que ofereceu o prêmio ao seu blog;

• Escolher outros sete blogs de conteúdo cristão (não importando a corrente ou denominação) para receber a premiação e colocar seus links no post que consta a premiação;

• Comunicar os blogs premiados;

• Publicar as regras e a imagem do selo no post de premiação.

Veja mais detalhes no meu blog, no link abaixo:
http://salvacaoaoalcancedetodos.blogspot.com/2009/04/salvacao-ao-alcance-te-todos-recebe-o.html

Heu disse...

Olá, amigo Domingos

Pela primeira vez, visitei o seu blog.
Parabéns. Muitíssimo informativo.
Li alguns trechos das diferentes versões da Bíblia (ERC e NVI), e devo dizer que a NVI é a minha versão preferida. Utilizei por muito tempo, a vesão ERC, não tomando conhecimento de tão importantes diferenças de tradução.
Portanto, vou prestar mais atenção e comparar as informações aqui obtidas.

Abraço, Sum
lysto
Helena

Teologia ortodoxa disse...

Olá Helena,

É um prazer tê-la conosco participando do nosso blog. Seus comentários são comentários de quem sabe o que diz e o que pensa. Obrigado. Costumo visitar e ler os blogs dos meus amigos também. Estarei, assim que possível, lendo os assuntos do seu blog, com prazer.

Grato pelos comentários.

Fica com Deus amiga.

Heu disse...

Comparando os textos da ERC e NVI, pude observar melhor a clareza dos fatos. Porém, parei em Jz 15:2, quando você cita as palavras adulterar e infidelidade,sendo muito interessante os significados (ainda que ser infiel pode também se tratar de adultério, mas por causa da lei da época, pode-se aceitar que não foi necessariamente, um adultério).

Porém, o que me chamou a atenção, foi o que você citou: "O final trágico da mulher dos capítulos 19 e 2O, nada tem a ver com a pobre mulher da história.
Eu li os dois capítulos nas duas versões. Em ambas, cita-se a concubina (uma apenas) e a morte trágica se refere à concubina da história. O texto é claro quando se refere à tal mulher. Por isso, deixo registrado aqui, minha dúvida, minha interrrogação........
Quem seria então, a tal mulher estuprada e morta???

Helena

Teologia ortodoxa disse...

OLá Helena, obrigao por postar novamente. Na verdade o que eu quero dizer com a frase "O final trágico da mulher dos capítulos 19 e 2O, nada tem a ver com a pobre mulher da história." é que ela não foi morta de forma tão cruel por causa de sua conduta, pois ela não traiu o marido. A morte dela foi motivada de pura crueldade.