sábado, 26 de setembro de 2009

Se separou, porém, casou novamente: Vai para o inferno?

Todos aprendemos que uma pessoa quando se casa jamais deve se separar. Dentro do catolicismo romano, por exemplo, mesmo havendo infidelidade conjugal, deve-se perdoar e jamais dissolver o casamento, a não ser em caso de incesto. Mas, em se tratando dos protestantes, temos aprendido que pode haver o divórcio sim, contudo, isso tem limites baseado em Mat 19: 9, principalmente. Vou opinar com base no que aprendi sobre o assunto, mesmo sabendo que a unanimidade nesta questão é mais uma utopia.


O texto que tomo por base, que é de onde surge a discussão, sobre a possibilidade ou não do divórcio está em Mateus 19:1-9:

E ACONTECEU que, concluindo Jesus estes discursos, saiu da Galiléia, e dirigiu-se aos confins da Judéia além do Jordão; E seguiram-no muitas gentes, e curou-as ali. Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, e disse: Portanto deixará o homem pai e mãe, e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou não o separe o homem. Disseram-lhe eles: Então por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio, e repudiá-la? Disse-lhes ele: Moisés por causa da dureza dos vossos corações vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas ao princípio não foi assim. Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.

Antes de eu comentar o assunto o leitor deve estar ciente de que, naquela época, quando Jesus foi questionado sobre a questão do divórcio, os mestres da lei, (fariseus), estavam na verdade querendo saber, se Jesus defendia  a escola de Shammai, ou a escola de Hillel. Cada uma tinha uma forma de entender esta questão. Isso não é mencionado no texto bíblico, mas qualquer historiador da história de Israel pode confirmar isso. A escola de Hillel entendia que o divórcio poderia ser concedido por qualquer motivo, mas a escola de Shammai, ensinava que somente em caso de infidelidade conjugal  havia a possibilidade para o divórcio.

É por isso que R.N. Champlin diz: "Nesta secção, o evangelista escreveu para pessoas judias que sem dúvida tinham consciência da controvérsia sobre essa questão, nas escolas rabínicas de Hillel e Shammai. Hillel era extremam ente liberal; e Shammai era muito estrito."

Preste atenção quando ele diz que Mateus  (o escritor do evangelho), "escreveu para pessoas judias", porque isso é importante para a devida compreensão do texto, também.

Para saber sobre  Hillel e Shammai por favor, clique no linka a seguir: 
http://www.chazit.com/cybersio/chazal/hilleleshammai.html 

Examinando o texto de Mateus 19:9, nas muitas versões da Bíblia

Detalhes importantes no texto
Mateus 19:9

"Eu, porém, vos digo quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra 'comete adultério'" [e o que casar com a repudiada comete adultério].(ARA).

"Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete 'adultério'". ( ERC).

"Portanto, eu afirmo a vocês o seguinte: o homem que mandar a sua esposa embora, a não ser em caso de adultério, se tornará adúltero se casar com outra mulher.Mas o que lhes digo é que qualquer homem que se divorciar de sua mulher, a não ser por imoralidade sexual e se casar com outra mulher,'cometerá adultério'". (O Novo testamento Judaico).

"Eu lhes digo que todo aquele que se divorciar de sua mulher, exceto por imoralidade sexual e se casar com outra mulher, estará cometendo adultério'". (NVI).

"E Eu lhes digo isto: Todo aquele que se divorciar de sua esposa, a não ser por causa de infidelidade, e casar-se com outra, 'comete adultério'". (Bíblia Viva).

"And I say unto you, Whosoever shall put away his wife, except it be for fornication, and shall marry another, committeth adultery: and whoso marrieth her which is put away doth 'commit adultery''". (versão do Rei Tiago).

"Eu vos digo que todo aquele que repudiar a sua mulher - exceto por motive de 'fornicação' - e desposar uma outra, comete adultério. Eu vos digo que todo aquele que repudiar a sua mulher - exceto por motive de 'fornicação' - e desposar uma outra, comete adultério" (Bíblia de Jerusalém).

Observemos que na maioria das versões em português existe a expressão comete adultério. O verbo não está no gerúndio (com exceção da NVI, que trás a expressão estará cometendo adultério, o que significa que não é um ato continuado, mas um ato único, ou seja, a pessoa não estará vivendo em constante adultério, mas adulterará por se casar novamente. Pecou. Se for mesmo assim, significa que haverá perdão, pelo arrependimento do pecador.

No texto grego, a palavra traduzida pela expressão “comete adultério” é ἐπὶ πορνείᾳ (épi pornéia) portanto, as versões citadas acima estão corretas ao traduzirem assim; veja que a maioria das outras versões concordam quanto a isso. Isso traz implicações para a interpretação em favor da possibilidade do divórcio não causado por infidelidade conjugal? Sim! Por que?

a) Se eu pecar, posso ser perdoado, caso peça perdão a Deus? Segundo as palavras do apóstolo João sim: “Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. Se afirmarmos que não temos cometido pecado, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” E, segundo as palavras do próprio Jesus, só quem blasfema contra o Espírito Santo, perde o direito do perdão: “Portanto eu vos digo; Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens;mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.”

Os conservadores discordam quanto a isso, mas, vale perguntar se o fato de ter contraído um novo matrimônio condenará a pessoa definitivamente ao inferno, se Jesus disse que o único pecado para o qual não se tem perdão é a blasfêmia contra o Espírito Santo. Estará o casamento pós divórcio no mesmo nível do pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo?

Eu não acho que os casais devam se separar, por motivos fúteis. Conheço pessoas, que conseguiram perdoar e continuam vivendo juntas até hoje. Entretanto, existe o lado real da vida que não poucos desconsideram: A vida vivida entre quatro paredes. Na igreja, aparentemente é só paz e amor, mas dentro de casa é um verdadeiro inferno. O convívio é insuportável, brigas diárias, desentendimentos, desgostos e desafetos. Chega a um ponto em que perdem definitivamente o desejo um pelo outro, e para conviver assim, não é fácil.

Ou seja, viverão infelizes, pecando, porque com certeza, ser cristão e viver com alguém por quem  não há mais nenhum sentimento, não é para qualquer um. Uma vida hipócrita, infeliz que trará implicações, até mesmo para os filhos que crescerão vendo tudo isso e terão uma péssima ideia sobre casamento. Um lar onde não há respeito e amor, mas apenas aparências, e engano, fingimento. Estas coisas não são pecados? Ou são "pecados menores" que o pecado de adultério? Penso que não!

Pense bem antes de criticar pessoas que se divorciaram. Quem foi que disse que todos os casamentos foram constituídos e aprovados por Deus? Quem pode provar que foi mesmo Deus quem uniu A com B? Uma cerimônia religiosa? Uma profecia? Sinto muito, isso não seria diferente de afirmar que o juiz do cartório foi o responsável pela escolha, do conjugue, que está casando. Ele apenas reconhece a união juridicamente de forma que, a partir dali, os noivos serão considerados casados, perante a lei.

No casamento religioso, Deus considera com uma só carne a união de das pessoas, mas a escolha da pessoa é nossa, não dele. O coração que se apaixona e deseja é o nosso, não o dele, portanto, cabe a nós escolhermos com cuidado, mas muitas das vezes não somos bons nisso.

Logo, tendo em vista que mesmo sendo cristãos, comentemos erros, e casar-se com a pessoa errada é um deles que pode acontecer, condenaria Deus a perdição eterna,  mortais com tamanha possibilidade de errar na vida, neste quesito? Não é bem assim que funciona, ou então este Deus não sabe o que faz (para quem acha que ele é quem escolhe os casamentos dos cristãos), tendo em vista que muitos casais vivem um verdadeiro inferno entre quatro paredes, e vivem de aparências em detrimento de um ensino que receberam. E não me venham com essa de que é falta de oração, porque isso não é verdade!! Não existe super crente que supere um ambiente sem amor!

Outro detalhe não menos importante está nas palavras do mestre Tasker, quando ele diz:

"Mas, nestas palavras dirigidas aos fariseus, Jesus não está formulando nenhuma regra fixa que devesse ser seguida pelos seus discípulos em todas as épocas futuras. Ê estranho que os cristãos, mais que prontos para ver que Jesus, ao tratar doutras questões de conduta, não está legislando, muitas vezes relutam em empregar a mesma consideração quando interpretam o seu ensino sobre casamento e divórcio(...) Por isso, não se poderia dar nenhuma regra fixa sobre o divórcio que se pudesse aplicar igualmente aos cristãos do primeiro século e do século vinte (...) Então, é difícil crer que esta seção do Evangelho de Mateus dê qualquer base para supor que Jesus esperava que a sua igreja viesse a ser uma “ sociedade anti-divorcista” , que não providenciasse nada para “ a dureza dos corações dos homens” ou que cortasse da comunhão aqueles, frequentemente objetos do pecado alheio cometido contra eles, e não eles mesmos fautores do pecado, cujos casamentos se dissolveram"

(Prof. R. V. G. Tasker, M.A., D.D., Professor Emérito de Exegese do Novo Testamento. O Evangelho Segundo Mateus Introdução e Comentário Pág. 142-145)


Como eu disse em meu livro Doutrinas Intrigantes, muitos cristãos sabem se explicar para os defensores da guarda do sábado, que não estamos mais vivendo sobre os ditames da lei do AT, por isso, não precisamos mais observar o sábado, mas não pensam sobre isso quando o assunto é o dízimo, ou questões como esta. Mas deveriam pensar sim, por uma questão de honestidade! A verdade é absoluta, ela se auto impõe, só precisa de corações honestos e humildes.




Uma rápida análise no conhecido texto de 1 Timóteo 3:2 que diz:

"Convém pois que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar..."

Não são poucas as pessoas que baseadas neste texto, afirmam categoricamente que o obreiro, principalmente o pastor, não pode ter uma segunda esposa advinda de um segundo casamento a menos, claro, que tenha se separado por ter sido vítima de traição conjugal.

O texto de 1 Timóteo, se examinado com cuidado, nos permitirá entender que ele não está falando de divórcio, ou seja, que o obreiro tenha se casado apenas uma vez, mas que ele tenha apenas uma mulher como esposa, ou seja, trata-se de quantidade, se não vejamos:

"É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, moderado, sensato, respeitável, hospitaleiro e apto para ensinar;"

O termo em questão aqui é μιᾶς (de uma só - Novo Testamento Interlinear). Lendo outros textos em que a mesma palavra μιᾶς (de uma só - Novo Testamento Interlinear) é empregada, notaremos que de fato trata-se de quantidade e não de divórcio, vejamos:
"há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos."(Efésios 4:4,5).

Em outras palavras, assim como não se pode ter dois corpos e dois espíritos, duas esperanças, duas fés, dois batismos ou dois Deuses ao mesmo tempo, da mesma forma, não se pode ter duas mulheres ao mesmo tempo.

Compactua com esta interpretação o comentário em síntese na Chave linguística do Novo Testamento Grego: "marido de uma só mulher". A Frase difícil significa provavelmente que ele tem apenas uma esposa de cada vez".

Esclareço que o que foi dito até qui, não tem a intenção de influenciar a vida particular de ninguém, mas apenas de esclarecer. Eu sou o dono das minhas palavras e você é o dono dos seus atos. Sou responsável pelo que digo e escrevo, mas não sou responsável pela maneira como você entende. Uma coisa, porém, é certa; este é um assunto que causa demanda, como outros na Bíblia e não ficarei nem um pouco surpreso, com opiniões contrárias. Mas se desejar opinar, por favor, use argumentos substanciosos e que valham a pena serem expostos. Mas, desconfiar que os seus argumentos, não possuem tanto embasamento bíblico honesto, considere se não estar fazendo isso apenas por preconceito, arrogância  ou por ausência de uma análise e uma reflexão mais acurada do assunto.

Obrigado.

Domingos.

36 comentários:

Nicole disse...

Pensando na vidas dos ex casais também, me toquei q o único pecado q não é perdoado, é a blasfêmia contra o Espírito Santo.

Nicole disse...

Concordo q vidas de casais q vivem uma hipocrisia só deicham mal testemunho para os filhos, mas eles depois de divorciados devem viver em amor um com o outro em amizade se querem realmente o perdão de Deus.

lulu disse...

parabens pelo artigo em questão, me esclareceu bastante coisa, mas ainda tenho algumas duvidas.! se vc puder me add no msn serei grato evangelistaluansilva@hotmail.com

Deus abençoe vc!

Mr. Sun. disse...

Engraçado que demorou exatamente 1 ano para que alguém comentasse de novo o assunto, rssrs.

Acho que preciso divulgar mais o meu blog, rsrs.

walney disse...

tenho muitas duvidas acerca disso tudo , se puderem me add no msn , enviarei por e-mail minhas duvidas , obrigado

José Rocha disse...

Meu nome é José, e estou passando pelo um conflito em minha vida. Me apaixonei, por outra mulher, inclusive ela também é casada e assembleiana. Ela me ama, está completamente apaixonada por mim. Ela não gosta mais do esposo, portanto a vida deles é uma farsa. Estamos com medo de nos separarmos, pois sabemos que é um grande pecado. Se isso acontecer com a gente, será que Deus vai nos perdoar um dia?

Sun. disse...

A paixão cega qualquer um. Ela tem o poder até mesmo de nos fazer pensar que aquela sensação nunca sentimos antes. MENTIRA! É uma armadilha isso ai! Uma coisa seria se vocês já estivessem separados e se conhecessem nesse novo estado de vida. Outra coisa é vocês dois casados e tendo um caso. É uma armadilha infernal com sabor de mel.

Fuja disso! Encare da dor o sofrimento. "Quem perder a sua vida por amor a mim salvá-lá-ha" "negue-se a si mesmo se siga-me", lembra -se?

Essa é uma situação sem a benção de Deus! Vocês já cometeram adultério e estão cometendo adultério constante, pois são legalmente casados e cometem o mesmo ato com frequência!! A vida de vocês também é uma farsa!

Pense nos seus filhos. Pense nos filhos dela. Por acaso se isso viesse a acontecer vocês reuniriam os seus filhos, ou os seus ficariam com a sua ex-esposa e os dela com ela? Ela e a sua esposa se conhecem? Você conhece o marido dela? E o marido dela te conhece?

Tenha por certo que ESSE MEDO é o indicativo de que Deus ainda está detendo vocês por meio dele.

É um pecado premeditado, com certeza tem alto preço ai! Tem graves consequências ai! Faça como José e fuja! Não se entregue como fez Sansão que se deixou levar pela paixão. Lembre-se do conselho dos provérbios "Não dê as suas forças as mulheres"!! Destruir uma família em nome do bel prazer e da paixão, é ser pra lá de egoísta! é ser frio! inconsequente! Deus levará isso em conta, com certeza! Não faça isso! O homem pode amar ela e muito! E a sua esposa com certeza te ama e muito!!! Não faça isso não amigo!

dalmusi disse...

Graça e Paz! Eu já estava separado da minha ex-mulher morando dentro de casa pois não tinha pra onde ir,depois de uns 2 meses conheci uma pessoa e realmente me interessei muito por ela. Mas no primeiro dia que a conheci disse tudo para ela que era casado mais estava separado dentro de casa. passou então 1 mês e sai de casa e sei que cometi adultério pois ainda não estava divorciado. Porem depois de 6 meses dei entrada no meu divorcio pois estava certo disso indepedente se a conhecesse ou não. Hoje estou casado e vivo muito bem sou membro de uma ig. Batista e a ganhei pra Jesus pois ela era católica e vivemos em paz! Pois eu colho a consequencia do meu erro que é ficar longe do meu filho.

Alysson Rocha disse...

José, vivo uma situação semelhante. Você se separou? Como você está? E ela?

Jadson Araujo disse...

Muito bom,,duvidas tiradas para aqueles que acha que tudo é inferno.

Luis Justiniano disse...

lendo tudo que foi postado eu vejo que o tema em questão ainda esta sendo levado muito superficialmente,o assunto é muito mais serio e mais complexo, por exemplo:
1- como é a vida sexual de um casal em conflito? sexo só por obrigação? e se é só por obrigação vocês não acham que isso é se prostituição?
2- o que realmente é adultério? Jesus falou e diz que se alguém viu cobiço, desejo no seu coração já adultero, por tanto, tem muitos homens e mulheres vivendo uma vida de adultério.
3- o que é casamento e divorcio? casamento não é cartório, não é cerimonia na igreja não, CASAMENTE SEGUNDO A BÍBLIA é coito RELAÇÃO SEXUAL. olhando por esse lado podemos ver que muitos casais já estão divorciados dentro de casa, agora ter relação só por obrigação como ja falei é prostituição por que não á amor, atração, paixao, tesão, se não existe essas coisas a relação sexual se converte em desejos da carme PROSTITUIÇÃO.
4- temos que ver também que cada caso é um caso, muitos dos casamentos não foram feitos como deveria ser, muitos casaram-se por estar gravida, outros por interesses pessoas, outros por sair de casa etc. olhando por esses lado não ouve um casamente ouve uma oportunidade para resolver um problema mais nada.

tenho mais coisas que poderíamos analisar profundamente, mais deixo estas para que pensem antes de falar sobre assuntos sérios.

bencao disse...

irmãos..eu penso que não é a questao do divorcio levar alguem para o inferno. Mas como a maioria da-se atraves de uma traição. Entao, a pessoa é adultera. Mesmo que ela peça perdao. Ainda assim continua sendo adultera pois não deixou a pessoa. Agora, é muito facil hoje eu caso e amanha separo usando deste trecho da biblia para casar e separar. Faça-me o favor.

bencao disse...

Se traiu, e depois se separou para casar com esta pessoa. E deixou a esposa dizendo nao ama-la. Penso que sempre será adultero. e os adulteros não herdarao a salvacao. É muito facil casar hoje, e amanha serparar. Isso é questao de carater.

Sun Saint disse...

É claro que respeitamos as opiniões divergentes, mas não significa que concordemos com elas. Há uma frase interessante que diz "quando todos pensam igual, ninguém está pensando". Quando você diz "eu penso", tudo bem, mas creio que seria mais interessante tomar a Bíblia por base, afinal, se todos os bilhões de habitantes for tomar por base o que pensar como norma de fé, vai ficar bagunçado. Não é o que você pensa que importa, mas o que Deus pensa, e o que é a Bíblia se não expressão dos pensamentos de Deus?

Não acho que as bases apresentadas são tolas e infundadas, pois são provenientes de mentes balizadas na Bíblia sagrada, e não me parecem ter a intenção de ajudar ninguém a ser condenada ao inferno. Você diz que mesmo que uma pessoa peça perdão, ainda assim, será adúltera, mas você precisa justificar a sua resposta. Sinceramente, acredito que você não está com o coração aberto, mas fechado em seus próprios "achismos".

Precisa ser humilde e honesta para lhe dar com assuntos da Bíblia, exatamente porque precisamos estar preparados para rever os nossos conceitos.

Portanto, faça uso das Escrituras e mostre qual outro pecado, além da blasfêmia contra o Espírito Santo, não é passível de perdão. Existe algum pecador arrependido que não alcance o perdão? Não julgue as pessoas, no mínimo trate-as com justiça, se não consegue gostar delas pela condição em que se encontram.

EMERSON VASCONCELOS Vieira disse...

Jesus nunca proibiu o divórcio. Veja um comentário em https: facebook.com/emerson.vasconcelos.524

jessica disse...

gostei muito do comentario, então isso vale para os homoxessual pode se arrepender e continuar como esta igual ao que casar novamente principalmente se for os que fizeram operação e adotaram uma identidade feminina ou masculina é só pedir perdão e seguir a vida da maneira que lhe faça feliz.

Sun Saint disse...

Claro que não, Jessica.

Cintia Cristina Fernandes disse...

Uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa...
Ciclo natural da vida é nos apaixonarmos pelo sexo oposto...a Homossexualidade foge totalmente dos princípios bíblicos, o adulterio tbm...porém a diferença nisso esta que para o divorcio ha respaldo bíblico...mudança de sexo não...estou mudando minha natureza fazendo isso...Deus me criou para viver com o sexo oposto se fosse o contrario no lugar de eva nasceria outro adão.

kelly santos disse...

Interessante o discurso , porém tenho meus questionamento, aquele que casar de novo vomete o pecado e se orar é perdoado,mas se o indivíduo continua no pecado, digamos aqui continuar casado no segundo casamento , é como um porco que toma banho a qual lh é retirada a sueira(perdão), mas volta ao poço de lama se lamechando novamente naquela lama,( continuar casado).
Desculpe o exemplo, ma é o que me veio na memória agora, não estou aqui criticando mas expondo uma dúvida.

Jonas Nogueira disse...

amigo meu nome jnssantos.sou casado ha 25 anos,casamos sem nos amamrmos,casamos por achar que não deveriamos ficar sozinhos.com o decorrer do tempo ate nos gostamos,mais a perca de nosso filho trouxe uma grande tristeza para nós.Os últimos 10 anos nossos sentimentos foram acabando um para com o outro e minha esposa trouxe para morar conosco uma sobrinha dle pequena,hoje com 16 anos,trouxe um inferno para nos,e ate nos dividiu.
há exatamente 35 anos,eu morava com uma jovem que eramos loucamente apaixonados um pelo outro,a mãe dela se paixonou por mim e fez um inferno na vida dela,ate que um dia mesmo amando-a profundamente,tomei uma decisao de deixa-la viver,pois fui acusado pelo pai dela de faze-la sofrer,o que era mentira.Jogaram ela contra mim e eu contra ela,queriamos nos ver e conversar nos amando cada vez mais,mais o orgulho e a falta de experincia foi fazendo nos afastar cada vez mais,mais no fundo queriamos conversar voltar a viver juntos.passamos 35 anos sem nos falarmos apesar de que quando nos viamos de longe sofriamos de amor um pelo outro.Recentemente por um acaso do destino nos encontramos e resolvemos fazer aquilo que tinhamos em nosso coração.conversar e saber por quei fizemos tal atitude,nos encontramos e acendeu um amor maior do que era antes.nossos casamentos fracassaram, não somos felizes separados e decidimos nos unir novamente nos separando dos nossos conjugues.35 de sofrimento vivemos,agora achamos nossa felicidade.a nossa separação dos nossos conjugues representa pecado de adulterio? eu me afastei há 4 messes da comunhão na minha igreja,disse toda verdade a minha esposa.fiz certo? ela tenta compreender.mais gosta de mim. o que fazer?pelo amor de Deus me oriente para tomar uma decisão.

Jonas Nogueira disse...

amigo meu nome jnssantos.sou casado ha 25 anos,casamos sem nos mamrmos,casamos por achar que não deveriamos ficar sozinhos.com o decorrer do tempo ate nos gostamos,mais a perca de um filho toruxe uma grande tristeza para nós.Os últimos 10 anos nossos sentimentos foram acabando um para com o outroe minha esposa trouxe para morar conosco uma sobrinha dle pequena,hoje com 16 anos,trouxe um inferno para nos,e ate nos divivui.
há exatamente 35 anos,morava com uma jovem que eramos loucamente apaixonados um pelo outro,a mãe dela se paixonou por mim e fez um inferno na vida dela,ate que um dia mesmo amando-a profundamente,tomei uma decisao de deixa-la viver,pois fui acusado pelo pai dela de faze-la sofrer,o que era mentira.Jogaram ela contra mim e eu contra ela,queriamos nos ver e conversar nos amando cada vez mais,mais o orgulho e a falta de experincia foi fazendo nos afastar cada vez mais,mais no fundo queriamos conversar voltar a viver juntos.passamos 35 anos sem nos falarmos apesar de uqe quando nos viamos de longe sofriamos dep aixao.recentemente por um acaso do destino nos encontramos e resolvemos falr aquilo que tinhamos em nosso coração.e acendeu um amor maior do que era antes.nossos casamentos fracassaram, não somos felizes separados e decidimos nos unir novamente nos separando dos nossos conjugues.35 de sofrimento vivemos,agora achamos nossa felicicidade.a nossa separação dos nossos conjugues representa pecado de adulterio? eu me afastei há 4 messes da comunhão na minha igreja,disse toda verdade a minha esposa.fiz certo? ela tenta compreender.mais gosta de mim. o que fazer?pelo amor de Deus me oriente para tomar uma decisão.

Sun Saint disse...

Desculpem pela demora. Aliás, alguns comentários não apareceram antes, apareceram este mês. Não sei o porquê, mas vamos lá.

Jonas Nogueira, eu agradeço a sua confiança em me pedir uma orientação a respeito da sua situação, mas eu acredito que algumas situações são questões de fórum íntimo, isto é, fica entre a pessoa, seu coração e Deus.O que eu pude perceber é que você deixou de gostar da sua primeira companheira, e se já não rola nenhum sentimento ou desejo de ambas as partes, é muito difícil a convivência mesmo. Os dois precisam se gostar, se desejar, se não rolar a atração mutua, pode esquecer porque ninguém vai querer se sacrificar para fazer outra pessoa feliz. Pode até ser que isso aconteça, mas é incomum e ninguém sabe se mais cedo ou mais tarde a pessoa que aceitou o sacrifício terá o seu coração sacudido por outra e ai, já viu...Por tanto, ficar juntos, sem amor e desejo de ambas as partes, não é legal, não é certo.

O fato de você ter aberto o jogo na sua congregação foi certo, pois assim evita muita fofoca, muito embora eu não ache que ninguém tenha nada a ver com a sua vida particular, pois as suas contas e você sozinho que paga, certo? Mas foi legal você ter aberto o jogo.

Preciso neste ponto trazer a tona um posicionamento que considero ser fundamental, na questão da fé. Meu amigo, quem derramou o sangue por você na cruz foi Jesus, não foi nenhum líder, pastor, presbítero, etc. Portanto a ele você deve se dirigir e pedir orientações, criaram muitas regras, muitas doutrinas de homens e insuflaram nas mentes dos crentes que agarram e acreditaram. Conforme eu disse acima, todos nós pecamos em maior ou em menor grau, mas pelo que eu entendo da Bíblia, não há uma hierarquia de pecados. Se alguém souber por favor exponha. Acredito sim, nas diferentes consequências para os pecados das pessoas. Pastor peca, presbítero peca, evangelista peca, apóstolo peca, não há santo, mas alguns espertamente classificaram alguns pecados como sendo superiores a outros, para manter presos a si aqueles que cometem tais erros. Alguns recintos existem em que até orações para se apagar o nome do livro da vida existe, por causa do adultério. Não quero dizer que o casal não tenha que se respeitar, se amar e devotar o seu amor apenas a pessoa amada, o seu conjugue, claro que sim. É isso o que se espera, mas não é isso o que acontece SEMPRE! Nem agora e nem nunca, porque Jesus mesmo disse já naquela época que haviam separações por parte de homens que se separavam por motivos fúteis. Na verdade alguns nunca amaram as suas esposas. Portanto, neste ponto, quero deixar claro que você não deve ficar refém de doutrinas denominacionais. Tem muito crente besta (desculpem o termo, mas é a pura verdade) que se recusam até a cumprimentar ou olhar na direção da pessoa divorciada ou que saiu da denominação por algum outro motivo. Isso é idiotice e hipocrisia, nada mais! Reconstrua a sua vida, ao lado de quem você amam, se vocês se amam, bola pra frente, e ore para que ocorra o mesmo com pessoa com quem que você não vive mais.



loriane santos disse...

Olá queridos irmão preciso de uma resposta, sou casada nasci em um lar evangélico mas nunca tive um ensinamento bem explicado sobre o divórcio, quando me casei estava afastada dos caminhos de Deus, hj tendo conhecimento vejo que uma mulher solteira não pode se casar com um homem que já foi casado, o meu esposo já foi casado três vezes sendo que eu sou o último casamento, e aí eu tenho que me separar do meu esposo para está livre de maldição.

Domingos Santos disse...

Olá Loriane. Obrigado por participar do blog. Leu o tópico acima, amiga? Achei as suas frases um tanto contraditórias, uma vez que você diz que hoje tem conhecimento, mas precisa de uma resposta. Esse conhecimento que você possui é bíblico? É correto? Se for corretamente bíblico você já tem a sua resposta, se não for, sugiro que leia o tópico acima com cuidado e ore a Deus. "hj tendo conhecimento" "irmãos preciso de uma resposta".

Abraço.

Graça e Paz.

Rubens Junior disse...

Conheci uma pessoa que é cristã, vive uma vida de aparências perante a igreja, e tem diversas atividades na igreja. Mas já Não ama seu marido. Se anulou de sua família, seus amigos, de tudo. Vive uma vida totalmente infeliz e mantém o casamento por pressão da comunidade cristã em que está inserida.

Domingos Santos disse...

Infelizmente essa é uma realidade na vida de muitas pessoas cristãs. Não quero fazer apologia a dissolvição da vida conjugal, absolutamente, entretanto, sem dúvida muita gente vive uma vida conjugal, hipócrita, em muitos casos já há infidelidade por um dos lados, mas continuam vivendo debaixo do mesmo teto apenas para manter as aparências. Mas qual é o receio? Bem, tem aquele obreiro que sabe que se se separar perderá o direito ao cargo, sofrerá o preconceito da instituição etc.

Tem aquelas pessoas que acreditam que não se deve separar porque "foi Deus" que deu. Primeira pergunta como se pode ter plena certeza que realmente foi Deus que deu? Se Deus Deus ele tem que ser o primeiro a dar um jeito para que tudo corra sempre bem, afinal ele não erra, principalmente por poder ter a capacidade de se antecipar aos fatos futuros.

Tem aquelas pessoas que acreditam que não pode separar porque "o que Deus uniu não separa o homem". Deus criou o homem para a mulher e a mulher para o homem, mas não significa que qualquer homem e qualquer mulher vão ser felizes na vida conjugal. Somos diferentes, temos projetos, visões e anseios diferentes, logo, temos que saber escolher a pessoa amada, mas somos seres humanos e cometemos erros, principalmente nessa área da vida, logo, não há um meio seguro de garantir que aquela pessoa é pessoa certa.

Repito não é só adultério que é pecado! Mentir, odiar, ter orgulho, cobiçar, entre outras coisas, são pecados também. Em maior ou em menor grau? Pelo que entendo não existe hierarquia de pecados. Pelo que entendo da Bíblia apenas a blasfêmia contra o Espírito Santo é imperdoável. O problema não é a separação, é o novo casamento. Mas, caso isso ocorra, é uma blasfêmia contra o Espírito Santo? É um erro passível de condenação eterna? Avareza, orgulho, inveja, cobiça não condena ao inferno no mesmo nível? Lembrando que não se cobioça só coisas, se cobiça pessoas também, inclusive esse é o décimo mandamento do decálogo.


Jonatha Lopes Jonatha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Valeria Lessa disse...

A paz.
Eu tenho um filho que se casou, e a menos de um ano de casado, se separou. Eu orei, pedir a Deus que isso nao viesse acontecer, mas nao teve jeito.A pergunta é, se meu filho casar-de novo estará condenado ao inferno? Porque é o que eu mais ouço...

Domingos Santos disse...

Valéria, Obrigado por participar

Acredito que, se você ler o tópico com cuidado mais uma vez, achará a sua resposta.

Gilberta Santos disse...

Boa tarde queria tirar uma dúvida eu me divorsiei pois meu ex marido me espancava me obrigava a ter relações sexuais passou um tempo me casei novamente sera que vou pro inferno tenho 2 filho com meu marido tenho que voltar para meu ex

Domingos Santos disse...

Por favor, leiam o assunto com cuidado e paciência, só isso.

Obrigado.

paulo luiz Alves disse...

Luiz

Uma esposa(o)mentirosa(o),que fala mal do marido ou esposa ,vive de aparência,puro interesse material (dele ou dela) não importa , o lar é discussão todos os dias, não ha paz , mas é interessante para a comunidade ver que lindo casal! como pode ? mas estamos debaixo da Lei, mas
ao me ver não é bem assim ,o pai da mentira todos sabem que é , então porque não aplicar a mesma Lei , interessante né .

Marilda Arante disse...

Paz!!!
Achei muito interessante esse artigo,irmão!!
Realmente,há muita polêmica em torno desse assunto e muita crítica contra as pessoas divorciadas,e infelizmente são poucas as igrejas que tem tato para lidar com membros que passaram pela tragédia do divórcio. São muitas aberrações e absurdos que vemos por aí contra os divorciados e só mediante estudo da Palavra e discernimento para aplicá-la nas nossas vidas. Agora tenho refletido sobre a lei x graça de Deus,e posso enxergar claramente essa questão ... Tenho dois primos que se divorciaram antes de conhecer Cristo, e já na igreja, conheceram mulheres solteiras,cristãs,tementes a Deus e casaram,e vivem muito bem em seus novos casamentos, são servos de Deus dedicados,que dão bom testemunho.
Tenho tb uma amiga solteira que se casou com um homem divorciado antes da conversão,tb vivem maravilhosamente bem. Outro amigo solteiro que se casou com uma moça que divorciou pq o ex esposo era um criminoso,que colocava a vida dela e dos filhos em risco. Tb vivem muito bem na presença do Senhor.Obviamente que todos esses casais tem problemas,como todos,mas tem buscado colocar Deus em primeiro lugar em suas vidas e tem sido muito abençoados por Ele.
Deus é gracioso e suas misericórdias se renovam a cada dia. Precisamos conhecê-LO mais e mais. O povo tem perecido por falta de conhecimento,já dizia o profeta Oseias.
Abraço irmão,fique na Paz!

Conselheiro Cristão disse...

A vida vivida entre quatro paredes. Na igreja, aparentemente é só paz e amor, mas dentro de casa é um verdadeiro inferno. O convívio é insuportável, brigas diárias, desentendimentos, desgostos e desafetos. Chega a um ponto em que perdem definitivamente o desejo um pelo outro, e para conviver assim, não é fácil.
Tirei do próprio texto do assunto em questao, ai eu pergunto, são realmente cristãos os que vivem dessa forma em um casamento? Como que um cristão terá um convívio insuportável com seu conjuge? Desentendimentos, desgostos e desafetos entre um casal cristao???????????
Meu amigo, é necessario que os dois se arrependam disso tudo antes de se separarem, que se ocorrer o arrependimento não haverá separação.
Acredito que vocês estão entendendo onde quero chegar, se dois Cristãos regenerados, que tem o Espírito Santo, vivem dessa forma? Como o mundo vai conhecer Jesus através da igreja?
Dois cristãos que vivem juntos, estou falando de cristaos ok? Precisam concertar o seu altar diante de Deus e viverem em harmonia para a glória de Deus!

Domingos Santos disse...

Em seu comentário você diz "Tirei do próprio texto do assunto em questao, ai eu pergunto, são realmente cristãos os que vivem dessa forma em um casamento? Como que um cristão terá um convívio insuportável com seu conjuge? Desentendimentos, desgostos e desafetos entre um casal cristao?"

Antes de tudo quero chamar a sua atenção para o fato de que cristãos não viram anjos ao se converterem, continuam como seres humanos e passíveis de errar como qualquer outra pessoa. O que você disse é sério, pois, coloca em xeque a genuinidade da conversão do casal, querendo dizer que não são cristãos de verdade. O detalhe é que o fator oração, mais atitude (nesse caso conversa franca, humildade das duas partes) é muitíssimo importante para a preservação do casamento. Mas nem sempre funciona e não sou eu nem você que vamos julgar tais casais ao ponto de questionar se de fato são cristãos ou não. Olho para a Bíblia e vejo homens cristãos errando, discriminação racial, brigas até na escolha de um companheiro. Olho para as cartas aos Corínto e vejo Paulo no início da carta:

"Paulo, chamado para ser apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, e Sóstenes, nosso irmão,Á IGREJA DE DEUS que está em Corinto, AOS SANTIFICADOS EM CRISTO JESUS, chamados para serem santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor tanto deles como nosso"

Mas lendo a carta você de depara com cristãos cheios de problemas em vários aspectos. Será que os problemas deles eram inferiores aos dos cristãos de hoje? Ou vai me dizer que eles também não eram cristãos de verdade?

Não estamos falando de "anjos" que não erram estamos falando de seres humanos e estes erram sim até nessa esfera da vida que é o casamento, a escolha da pessoa amada, mesmo sendo cristãos e, mesmo sendo cristãos a escolha errada leva sim, muitos casais cristãos a viverem em tais circunstâncias. Muitos não falam, nem abrem as particularidades de suas vidas porque esse é um assunto que compete aos dois e a Deus.

Quero lhe dizer que a oração e uma boa conversa franca deve sim ser prioridade na vida de qualquer casal cristão em busca de uma saída, mas tem um fator que infelizmente entra em cena e não sai, se chama natureza humana. Já ouviu falar em incompatibilidade de gênio? Pense em dois bicudos tentando beber água no mesmo copo, é isso. Mesmo sendo cristãos, muitos não possuem humildade para dizer ao seu conjugue "desculpe eu errei". Existem homens e mulheres sentimentalmente frios não sabem ou não conseguem expressar afeto ou carinho de um pelo outro. Eu conheço casais que se separaram por isso. Os de fora achavam um casal perfeito, exemplar, tudo a haver, principalmente na igreja; porém, conversando com o esposo ele me disse que a sua esposa nunca lhe deu um abraço ou um beijo espontaneamente. Como alguém consegue ser casado e continuar carente da pessoa com quem vive? Isso é vida real e não foi por falta de oração,e muito menos de diálogo lhe asseguro.

Na teoria tudo é mil maravilha mas, na vida real, a coisa não é bem assim. Ocorre que alguns casais cristãos se saem bem são felizes e isso é ótimo, o que não significa que não tem lá os seus momentos de briga, mas conseguem se acertar. O problema é que não podemos concluir com isso que os problemas dos casais são todos iguais, porque não são.

Monique Barbosa disse...

Estou casada com um homem que já foi casado uma vez. E vi que pode ser que nem todo casamento pode ter sido união de Deus é isso? Ele disse que se casou porque a namorada engravidou e deu a entender que tiraria o filho, pois não seria mãe solteira, e a vontade dela era sair de casa, há quem diga que ela engravidou de propósito. não deu certo. depois que ele se separou nos conhecemos e anos depois casamos, agora estamos vivendo uma luta no casamento, não sei se estou errada e estou em adultério com ele por ele ser de outra mulher perante Deus, ou se não valeu o primeiro casamento, por ele ter casado por obrigação e eu devo lutar pelo meu casamento.