terça-feira, 8 de novembro de 2011

Continuando a contestação: A prática do homossexualismo é condenada na carta de Paulo!







Vamos aqui procurar dar uma analizada no texto de 1ª Co 6:9,10, onde Paulo deixa claro a condenação da prática do homossexualismo, mas que Gladstone interpreta de outra forma.

O texto em análise aqui é, na opinião de Gladstone, um dos preferidos dos ´´homofóbicos´´ , por causa da maneira como foram traduzidas as palavras gregas ἀρσενοκοῖται (Arsenokoitai) e μαλακοὶ (malakoi) foram traduzidas de forma errada e que por isso houve uma adulteração das Escrituras (P.47).
Antes de tudo vejamos o texto em grego:
ἢ οὐκ οἴδατε ὅτι ἄδικοι θεοῦ βασιλείαν οὐ κληρονομήσουσιν; μὴ πλανᾶσθε• οὔτε πόρνοι οὔτε εἰδωλολάτραι οὔτε μοιχοὶ οὔτε μαλακοὶ οὔτε ἀρσενοκοῖται

Agora vejamos o mesmo texto em na tradução de João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada ( ARA):
Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas.”
A palavra efeminado é a tradução da palavra grega μαλακοὶ (malakoi).
O mesmo texto em outras versões da Bíblia;
“Vocês sabem que os maus não terão parte no Reino de Deus. Não se enganem, pois os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais,” (Nova Tradução na Linguagem de Hoje NTLH).
“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos“ (NVI).

Todas as versões protestantes que eu conheço traduzem este texto desta forma.
No livro a Bíblia sem preconceitos o autor taxa as versões NTLH e NVI com abomináveis, afirmando que nelas a palavra grega μαλακοὶ (malakoi) foi traduzida como adúlteros, enquanto ἀρσενοκοῖται (Arsenokoitai) foi traduzida como homossexuais, e, como consta no texto da NVI, “ ativos ou passivos”.

De fato a palavra grega ἀρσενοκοῖται (Arsenokoitai) está traduzida de forma correta nas traduções protestantes, conforme as fontes abaixo:

“Paulo emprega o substantivo arsenokoités `homossexual masculino´, `pederasta´ e `sodomita”(> casamento, art. koité) como alguém que está excluído do reino ( 1Co 6:9) e condenado pela Lei(1Tm 1:10; cf Gn 19; Lv 18:22, 29; 20:13; Dt 23:17>castigo) (Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, P. 973).
“Homossexual”; “sodomita” (Dicionário do Grego do Novo Testamento- Carlos Rusconi, P. 78).

“Um homem que tem relações sexuais com outro homem, homossexual” (Chave lingüística do Novo Testamento Grego, P. 297).

Também o Novo Testamento Interlinear concorda com esta tradução. Será que só Gladstone entendeu de forma diferente? Será que só ele foi iluminado com esta verdade singular e moralmente duvidosa, segundo a Bíblia? Em seu livro ele recomenda que o leitor jamais comprem as versões NVI ( Nova Versão Internacional) e NTLH ( Nova Tradução na Linguagem de Hoje). Contudo, pelo que constatei o oposto do que ele diz deve ser levado em conta, ou seja, o leitor não deve dar tanto crédito assim às suas informações.

Eu enviei um e-mail para o escritor Gladstone fazendo as seguintes indagações:
Tenho tanto o TR como o TC, como também tenho muitas versões, inclusive a Biblia de Jerusalém (BJ). Olha, eu andei consultando o Dicionário Internacional de teologia do NT, consultei o Dicionário de Ruscone e a Chave Linguística do Novo Testamento Grego e em todos a palavra grega ἀρσενοκοῖται é traduzida como: homossexual. Mesmo na BJ, a tradução em 1º de Coríntios 6:10 diz "nem os efeminados, nem sodomitas...", possivelmente tradução do termo ἀρσενοκοῖται. colocado após as palavras, "adúlteros" e "depravados". Mas, mesmo considerando o que você diz no livro em favor da B J ( nada contra pois eu também gosto dela) uma vez que o mesmo termo grego consta em 1: Tm 1:10 e é traduzido como pederasta, não seria a este tipo de depravação a que Paulo se referia? Pelo menos pedem as regras da hemenêutica que apliquemos este princípio, buscando ocorrencia de uma determinada palavra em outras passagens onde ela aparece para elucidar o seu significado.

Não obtive resposta alguma, embora anteriormente ele tenha me respondido indicando algumas fontes gregas como o TC ( Texto Crítico) e o TR (Textus Receptus), além de um site, mas sem responder diretamente a pergunta que eu havia feito.

Os tradutores da SBB são bem responsáveis não cometeriam um erro destes, até porque, a NTLH é uma revisão da BLH o que significa que eles teriam como concertar isso se fosse de fato um erro de tradução.

Segundo porque a NTLH, assim como a NVI e a Bíblia Viva, são versões que não procuram seguir o texto original da Bíblia no sentido literal, pois a construção gramatical do grego difere do da língua portuguesa. Em casos como este o estudante da Bíblia deve ter isso em mente. Neste ponto lembro o que existem 4 tipos básicos de tradução: Literal demais (inaceitável), literal modificada ( aceitável), idiomática (aceitável) e livre demais (inaceitável). Quem puder, consulte a obra dos escritores e tradutores John Beekman e John Callow intitulada A Arte de Interpretar e Comunicar a Palvra Escrita ( Editora Vida). Um excelente livro sobre o assunto. A NTLH e a NVI estão dentro dos padrões aceitáveis.

È claro que assim como eu não concordei com Gladstone, no tocante ao que ele afirma sobre 1 co 6:9,10, não ficarei surpreso nem um pouco em saber que possivelmente qualquer pessoa que tenha lido o livro ``A Bíblia sem preconceitos” e tenha concordado com a exegese proposta, concorde comigo. Contudo, eu procuro aqui em meu blog, pelo menos, expor as bases da minha discordância, logo, é justo que minhas palavras sejam levadas em consideração também. Não existem duas verdades sobre o tema em questão. Ou a homossexualidade é permitida ou é proibida no cristianismo. Até aqui eu entendo que não é permitida e justifico a minha maneira de entender o assunto.

Tenho certeza que outros estudiosos cristãos com conhecimentos bem mais amplos que os meus também dizem “não” a prática da homossexualidade entre os cristãos. Quem se entrega a uma crença sem refletir sobre ela é um fanático.



A pessoa que adere a prática da homossexualidade será inevitavelmente condenada?

Em minha maneira de entender acredito que o homossexual, ao se converter, terá um grande desafio se de fato a salvação, conforme o evangelho, lhe interessar. Terá que abrir mão dos seus desejos sexuais considerados ilícitos pela Bíblia Sagrada e dedicar a sua vida em prol do seu futuro, no prometido Reino de Deus. Um sacrifício sem dúvidas, mas que está de acordo com as palavras de Jesus. Alguns podem até protestar dizendo coisas do tipo “Isso não é vida!” “É muito difícil viver assim!”. É vida sim! Mas uma vida de sacrifícios e renúncias, buscando outros prazeres e satisfações na vida. Acha que isso é perder o melhor e o mais prazeroso da vida? Lembre-se do que Jesus disse: "Aquele que não vem após mim, não é digno de mim. Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la-á” (Mt 10.38-39).

Fácil não é para ninguém. Na ótica divina é preciso perder certas coisas prazerosas aqui para ganhar o que nos está prometido no evangelho. A vida cristã é uma vida de renúncias.

6 comentários:

diogombrum disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
diogombrum disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
diogombrum disse...

Prezado amigo,

Antes ir ao assunto que motivou meu comentário, gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa em suscitar um debate teórico a respeito do tema do livro do Pr. Gladstone. De antemão, deixo claro que não sustento ainda uma opinião sólida sobre o posicionamento bíblico a respeito da homossexualidade.

Quanto ao seu primeiro post, "Contestando a exegese do livro A Bíblia sem preconceitos", tenho a comentar que suas colocações, no mínimo, deixaram sob suspeita a afirmação de que Jonatas e Davi seriam um casal homoafetivo. Sua colocação, no entanto, quanto à lei judaica, parece encerrar o assunto.

Agora quero comentar sua segunda postagem sobre o tema: "Continuando a contestação: A prática do homossexualismo é condenada na carta de Paulo!". Não conheço a fundo os idiomas antigos e, por isso, decidi procurar traduções do trecho analisado ( 1Co 6:9,10) na versão de Martinho Lutero, no alemão de 1545. O v. 9 diz assim:

"WJsset jr nicht / Das die vngerechten werden das reich Gottes nicht ererben? Lasset euch nicht verfüren / Weder die Hurer / noch die Abgöttischen / noch die Ehebrecher / noch die Weichlingen / noch die Knabenschender"

A palavra "Weichlingen", que está traduzida no português (nas versões citadas em seu blog) para "homossexuais", em alemão possui um sentido mais parecido com aquele defendido por Gladstone, que escreve:

"O termo grego “malakoi” literalmente pode ser traduzido como “mole”. E dentro daquela cultura misógina do primeiro século, podemos dizer que uma associação com a feminilidade era vista como negativa em termos morais. Assim, “mole” poderia ser uma descrição de qualquer tipo de comportamento de vaidade exacerbada ou fraqueza de caráter."

O termo "weich", em alemão, que compõe a palavra "Weichlingen", de fato que dizer "mole", "macio". E o próprio termo "Weichling" refere-se a homens de corpo fraco (tanto segundo o dic. alemão Wahrig (2006) quanto ao Langenscheidt.

Em alemão, há palavras que traduzem bem o termo homossexual (como "Schwul"), mas acredito que não por acaso essa não foi a palavra escolhida. Mesmo nas versões atuais, a palavra que substitui "Weichling" para um termo mais contemporâneo são as palavras "Knabenschänder" (Luther, 1912), que significa, segundo os dicionários citados, "aquele que macula meninos, no sentido sexual", ou "Lustknaben" (Neue Evangelistiche), que significa "aquele que tem relações sexuais forçadas com meninos".

Em seu artigo, o Sr. escreve que "Todas as versões protestantes que eu conheço traduzem este texto desta forma.". Aqui apresento-lhe outras versões, que não traduzem dessa forma. Aparentemente, estas versões alemãs cunham o termo para referir-se a atos em que um homem subjuga meninos ao ato sexual forçado. Isso nada tenha a ver com a homossexualidade ou homoafetividade.

Assim, os argumentos apresentados em sua segunda postagem parecem não sustentar sua colocação de que "A prática do homossexualismo é condenada na carta de Paulo". Não digo que sim nem que não, apenas, pelas razões que apresentei, o texto de Paulo não pode ser usado como fundamento para tal afirmação.

Deixo, aqui, minha contribuição para esse debate, e ficarei honrado em receber comentários e críticas sobre o aqui exposto. Torço para que continuemos a discussão, pois acredito que seja de grande valia para todos que desejam refletir mais a fundo sobre os preceitos bíblicos.

Um grande abraço!
Diogo Brum.

Mr. Sun. disse...

Caro Diogo Brum,

Obrigado por honrar este blog com seu parecer no tocante ao assunto em pauta. Achei realmente bastante interessante a citação da Bíblia alemã frisando o texto em apreço, muito embora este idioma não seja do meu domínio, infelizmente; razão pela qual justifico o meu comentário "Todas as versões protestantes que eu conheço traduzem este texto desta forma.", acreditando que todos entenderão obviamente que me refiro "as versões protestantes na língua portuguesa".

Por um lado, isso me fez pensar o tamanho da responsabilidade de um tradutor do texto Bíblico, pela repercussão que pode ter por meios dos leitores, principalmente levando em consideração que um dos objetivos principais da reforma protestante, foi exatamente dar a liberdade não apenas para os cristãos possuirem, como também, consequantemente interpretarem a Bíblia, uma vez que nem um manual de hermenêutica vinha como auxílio dos leitores.

Entretanto, mesmo o termo "Weichlingen" corrobore com a interpretação de Gladstone, não podemos e nem devemos nos esquecer, contudo que a língua original não é alemã, nem portuguesa, é grega (grego koinê para ser mais preciso). Assim sendo, não posso deixar de considerar o que dizem respeitados estudiodos como alguns que citei, cujas obras que escreveram, falam por si só sobre a responsabilidade e a perícia que possuem com a língua Bíblia.

Não podemos também nos esquecer que, o fato de eu ter me detido de forma breve sobre o termo “malakoi” foi apenas porque Gladstone asseverou ele em seu livro também. Contudo,Existe um fator na Bíblia interessante que é a questão da inspiração. Conforme, a Bíblia mesma testemunha "Toda escritura é inspirada por Deus". Posto isso, levemos em consideração outras partes (também inspiradas por Deus a serem registradas) nas quais a prática do homossexualismo é taxativamente condenada e isso, sim, corrobora em favor das traduções na lingua portuguesa para malakoi.

Além disso, se compararmos a quantidade de versões, onde o termo "malakoi" foi traduzido como afeminado, com as que parecem oferecer outra interpretação, veremos que existe uma quantidade substancialmente maior das que trazem o termo "efeminado", e isso pesa em favor da idéia de que não podem estar todas erradas e só uma ou outra certa, a menos que coloquemos em xeque nesse caso a índole dos tradutores, o que não me pareçe plausível.

Sr. Stu disse...

Na biblia de Oxford tb, não faz mensão a homosexualidade, tanto que nos comentários disz que essa passagem jamais pode ter ligação com a homosexualidade,, a biblia é escrita em ingles, quem tiver uma copia pode conferir

Domingos Santos disse...

Se possível coloque o link.